30 de dez de 2018

Acampada no Barragem's Camping

Retornando de uma acampada em Arraial do Cabo/RJ - veja post - e com destino a Santos, resolvemos fazer uma escala e relaxar na região de Visconde de Mauá, num camping ótimo para isso, o Barragem's Camping, na Vila de Maringá.

A viagem

A viagem foi tranquila, percorrendo os 357 km, desde Arraial do Cabo, em 5h30, vindos pelo Arco Metropolitano e Via Dutra até a saída 311. Dali pegamos a RJ 163 e subimos a serra até a região de Visconde de Mauá.

O trecho de serra ainda apresenta muitos sinais de barreiras que caíram - com barro acumulado em vários pontos, estreitando a pista - resultado das fortes chuvas em março/2018, quando a estrada chegou a ser interditada por 27 dias.

Gravamos um vídeo na subida que mostra o estado da rodovia na 1ª quinzena de dezembro/2018.


O camping

Informações:

Barragem's Camping e Chalés - link para o site
Estrada Visconde Mauá/Maromba, km 6,5 - Vila de Maringá
Coordenadas geográficas: -22.32544,-44.58217
Veja a localização no Google Maps: https://goo.gl/9EYthP
Telefone (24) 3387-1354
Administradores: Sr Roney e Dª Marina
Diária na 1ª quinzena dezembro/18: R$ 35,00
Voltagem 220v

Foi a terceira vez que acampamos no Barragem's, encontrando-o do mesmo jeito simples, tranquilo, pura natureza e com um atendimento muito bom. Possui 2 baterias de banheiros, sendo uma bem rústica, mas limpos e oferecendo um banho muito bom.


Já a outra, melhor em estrutura, por ter o aquecimento a lenha só é ativada quando tem movimento que justifique - não era o caso pois estávamos só nós.

O camping é todo gramado e em módulos. Tem uma área de convivência com TV, mesas, cadeiras, ping pong, sinuca, livros à disposição, cozinha comunitária e wi fi. Dispõe de quadra de vôlei, 5 chalés para locação e recebe motor-home de médio e pequeno porte.

Um ótimo camping para curtir a natureza e onde ficamos uma semana. No vídeo abaixo procuramos mostrar o ambiente que encontramos nessa acampada.


A exemplo da acampada anterior, em maio/2016 - veja post - fizemos uma caminhada muito boa com o objetivo de chegar até a Cachoeira do Escorrega, cerca de 11 km ida e volta, passando pelas cachoeiras no caminho.

Faltando apenas uns 100 m fomos pegos por uma bela chuva e trovoada, impedindo atingir nosso objetivo - seria até perigoso ficar próximo à cachoeira. Veja o vídeo que fizemos dessa caminhada.


Nos demais dias foi só relaxar, caminhar até a vila, com pouquíssimo movimento fora o fim de semana, e curtir a paz e os passarinhos no camping - também, para nós, um bom programa.

Preparando o retorno

Ultimamente temos optado por desmontar todo o equipamento na véspera e dormir ou na "barraca da saideira", ou no caso de não haver movimento no camping e termos ficado vários dias, consultar os administradores sobre uma condição de preço favorável para dormir num chalé, suíte ou quarto, quando disponível.

Isso tem contribuído para um menor desgaste físico - desmonta-se e guarda-se tudo com calma e tempo bom e no dia seguinte permite sair cedinho e descansado para mais uma longa viagem. Nesse retorno para Santos foram 5h20 de estrada para vencer 376 km.

No Barragem's isso foi providencial uma vez que na véspera, à tardinha, choveu bem e se não tivéssemos adiantado sairíamos tarde no dia seguinte, até secar e limpar tudo. O vídeo abaixo mostra nossa satisfação por ter tomado a medida certa.


Agora é se programar para a próxima acampada - e vida difícil, rsrs!!

Caso queira ver as fotos desta e da acampada anterior, estão nesse álbum no Google Fotos.

27 de dez de 2018

Acampando em São José do Barreiro/SP

A Estância Turística de São José do Barreiro é uma pequena e tranquila cidade aos pés da Serra da Bocaina, com antigas fazendas da época áurea do café, sobrados, casarões e muita opção de turismo rural, cachoeiras, trilhas, etc.

muitos lugares bonitos

É a terceira vez que vamos lá, sempre acampando na Pousada e Camping Dona Esmeralda – já fomos às cidades vizinhas de Arapeí e Bananal, visitando fazendas históricas, da época dos escravos, sendo que algumas serviram de cenário para novelas.

Fotos desta acampada e das anteriores, fazendas visitadas, etc., podem ser vistas nesse álbum no Google Fotos.

Desta vez, com o tempo instável, ficamos mais no camping, fazendo algumas caminhadas nos períodos que o tempo permitia. Relatamos a seguir:

Informações sobre o Camping:

Pousada Dona Esmeralda Camping   link site do camping.
Estrada Vereador Jose Guimarães Rodrigues, km 3,6 - continuação da rua Virgílio Pereira
Coordenadas geográficas: -22.67146 -44.58689
Veja no Google Maps: link
Telefone: (12) 3117-1210 - WhatsApp: (12) 99744–2396
Voltagem 110v
Wifi com bom sinal.
Diária em dezembro/2018 R$ 35,00 – aceita cartão
Tem suítes e casas para locação.
Proprietária: Ana Cláudia, filha da dona Esmeralda

Amplo espaço com duas quadras totalmente gramadas e arborizadas. Próximo tem uma fonte de água mineral, portanto não precisa levar água.

Ficamos seis dias no fim de novembro/18. Fora de feriadão ou temporada, só tinha nós no camping e mesmo chovendo em alguns dias foi uma acampada boa pela tranquilidade, boa estrutura do camping, atendimento muito bom e a natureza bonita em torno.

No vídeo abaixo dá para ilustrar bem como foi nossa estada no camping e a estrutura que oferece.


Na área da Fazenda onde se situa o camping tem uma bonita cachoeira, a da Usina. Desta vez fomos até ela por uma estradinha, aumentando o percurso para 3,06 km em cada sentido, mas foi muito bom por ir curtindo o visual do belo vale, gados no pasto, etc.

Também gravamos um vídeo que mostra como foi essa caminhada, que recomendamos para quem gosta dessa prática.


O camping fica a cerca de 4 km da cidade por uma estradinha parte com calçamento e parte em terra com um pouco de buracos, mas que devagar dá para chegar tranquilo.

23 de dez de 2018

Acampando em Arraial do Cabo/RJ

Já conhecíamos Arraial do Cabo, mas em passeios bate e volta quando acampados em Cabo Frio. Com o surgimento de áreas de camping na cidade e lendo boas referências sobre eles, decidimos por acampar direto em Arraial e ficar mais perto de suas lindas praias.

canto esquerdo da Prainha - pertinho do camping

Sabedor que nessa região na temporada há uma superlotação nas praias e como consequência as cidades sofrem em sua estrutura para atender os milhares de turistas, optamos por ir na primeira quinzena de dezembro, sem feriados, quando o agito ainda não começou.

Escolhemos acampar no Camping Amendoeiras e a seguir relatamos sobre o camping e como foi nossa estada de uma semana em Arraial do Cabo:

O Camping

Informações:

Trailer e Camping Amendoeiras   link site do camping.
Alameda dos Saboeiros, 180 – Praia do Pontal, a cerca de 2,5 km do centro da cidade
Coordenadas geográficas: -22.950623,-42.033564
Localização no Google Maps: link
Telefone/watsapp (22) 99961-9330 ou 99961-9331
Voltagem 110v e algumas tomadas 220v
Wifi com bom sinal em toda a área.
Espaço para trailer e motor-home
Diária em dezembro/2018 R$ 30,00 – pagamento em dinheiro, na entrada.
Tem para locação 4 flats (quarto, cozinha e banheiro) e um trailer.
Proprietário Cristian e Encarregado Marcos

Possui área ampla com boa sombra, grama rala no piso, cerca de arame em volta e câmeras de segurança espalhadas. Os carros entram para descarregar e depois ficam em estacionamento interno.



A recepção fica na lanchonete simples – onde vendem também gelo, carvão e água e servem refeições self service ou prato único.



Painéis solares e boilers garantem o aquecimento da água nos banheiros, oferecendo banhos muito bons.


A bateria de banheiros femininos é uma das melhores que já vimos em camping. São dez unidades, com azulejo e granito nas bancadas e divisórias, duchas e papel higiênico. Nas portas de vidro painéis fotográficos divulgando os pontos turísticos da cidade.




Já os banheiros masculinos quando fomos eram bem rústicos e pequenos, mas informações de uma campista que lá esteve em maio/19 são de que encontrou banheiros masculinos novos, funcionando e no mesmo padrão dos banheiros femininos.

Existe uma área para uso comunitário, com churrasqueiras, mesas, cadeiras, lavabo e cozinha com geladeiras, fogões e utensílios à disposição.





Área com boa iluminação e distribuição das tomadas de energia em postes e também nas árvores existentes.

câmeras de segurança


Além da boa estrutura, ponto alto é o atendimento prestado aos campistas que começa na recepção onde a rotina é percorrer e apresentar ao interessado todas as instalações do camping.

Após instalados, desde o encarregado aos funcionários, sempre perguntam ao campista se está precisando alguma coisa, se preciso ajudam na montagem, emprestam lonas para cobrir iglusinhas, etc.



O camping é bem localizado, ficando a cerca de 600 m da rodovia por estrada de chão em bom estado e...



21 de dez de 2018

Barraca para a saideira


Depois de vários dias acampando e principalmente quando estamos distantes de casa, gostamos de sair do camping o mais cedo possível, não só para enfrentar o tempo de viagem que nos espera como também ter folga para o caso de haver algum imprevisto na estrada e não chegar à noite em casa ou próximo destino.

Carregamos muitas tralhas – é o preço para um maior conforto – e desmontar tudo, esperar secar a barraca do sereno (ou até de uma chuvinha inesperada) e arrumar no carro demanda um tempo e uma certa tensão por não permitir sair cedo como gostaríamos.

Após muitos anos viajando acampando e passando pela situação descrita, encontramos uma solução – camping é um eterno aprendizado, rs – com o aproveitamento de uma antiga barraca iglu que temos.

Com duas hastes de metal adquiridas na Decathlon, 10 m de cordelete 6 mm e uma lona de 3 x 3 m, montamos um abrigo para a iglu (Coleman Eco 3) para passar a última noite no Camping.



Recentemente, novembro/18, adquirimos uma Tarp, ou Abrigo de Trilha da Quechua, que já vem com as cordinhas, espeques e duas poles (hastes) de metal, que elevam a altura a 1,80 m e peso total de 2,6 k. Tem várias utilidades, veja vídeo. Mais prático e leve do que a lona e não precisa usar cordas.


Assim, na véspera desmontamos com calma todo nosso equipamento, arrumamos direitinho no carro e para o dia da saída fica apenas a iglu e sua cobertura - se o tempo estiver firme nem precisa a cobertura -, o que é relativamente rápido para recolher. No caso de sereno ou chuva apenas a lona, ou a Tarp, seria atingida, o que são fáceis de secar.

Com esse esquema temos conseguido sair do camping até às 8h, descansados, prontos para enfrentar a estrada e chegar cedo em casa, onde nos espera a operação inversa, retirar do carro e guardar todas as tralhas. Um bom esquema também quando se sai de um camping para outro, chegando mais cedo no destino para começar tudo de novo.

Para nós está valendo a pena ter mais 2 itens para carregar – iglu e tarp – pelo ganho de tempo e menos desgaste na saideira. Amigos campistas usam esse esquema também para o caso de chegar à noite no camping, ou chovendo, e armam a barraca pequena, deixando a principal e seus complementos para montar depois.

Obrigado pela visita, volte sempre!!

Outros posts recomendados:
Planejando as viagens
Escolhido o destino, procuramos na internet informações sobre a região e comentários de outros campistas sobre a estrutura e atendimento. Em seguida contatamos... Leia mais

Água ao lado da barraca
Veja como resolvemos para ter água ao lado de nossa barraca, para lavar as mãos e utensílios, por exemplo. Leia mais

20 de dez de 2018

Barraca Quechua air seconds family 4.1 XL

Durante 2 anos e 9 meses, quando foi usada por 151 dias, tivemos uma barraca Quechua modelo T4.1 que nos atendeu perfeitamente, passando por situações adversas como ventos e chuvas fortes, sem problemas.

Todavia, buscando maior praticidade e dispender menos tempo em montagem e desmontagem, adquirimos uma inflável da Quechua, modelo air seconds Family 4.1 XL, que se assemelha, em formato, a anterior.

Barraca adquirida na Decathlon em outubro/18 por R$ 1.399,00 com 2 anos de garantia integral e pesando 12,3 k.


Após quatro acampamentos e 24 dias de uso deu para concluir:

Pontos favoráveis:

- É bem mais rápida para montar. Mesmo na fase de a cada vez ir descobrindo formas mais práticas para isso, já na segunda montagem levamos apenas 20 minutos para deixá-la pronta para uso, desde tirá-la da sacola, inflar, esticar as cordinhas e especar;

- usando a bomba indicada, com cerca de dez bombadas em cada um dos três "tubos" já chega na calibragem recomendada, 7 libras. Mesmo que queira bombear mais ela "endurece" pois chegou ao ponto certo.

a primeira inflada

- Importante destacar que ela é “tudo em um” ou seja, montada a barraca o quarto e o piso também estão prontos para uso;

- O quarto é enorme, medindo 2,10 x 2,80 - para duas pessoas é um salão, rs;

- A sala é maior do que a da barraca anterior, tendo 6,5 m² e 1,80 m de altura;

usando o gazebo como apoio a sala serve até para assistir filminhos

- Na segunda acampada choveu 3 dias e houve um que ventou forte e choveu bastante. Na terceira, em Arraial do Cabo/RJ, durante 6 dias enfrentamos muito vento, com rajadas fortes e em um também choveu bem. Nenhum problema, totalmente estável e resistente à água e ao vento;


- O material dela parece, ao tato, de melhor qualidade do que o da barraca anterior;

- No primeiro desmonte, mesmo sem a prática que com o tempo aperfeiçoará a tarefa, conseguimos dobrar/enrolar e acondicionar na sacola sem maiores dificuldades, apesar de volumosa.

Pontos desfavoráveis:

- Se estiver chovendo e precisar abrir a porta cai água dentro da barraca, devido, pelo projeto, a porta ser inclinada.

- Solução, indicada por amigos, usar uma tarp – veja o que é - para cobrir a entrada e que além de tudo tem outras utilidades.

- Apesar de nesse modelo inflável existir uma janela telada a mais que a anterior T4.1, cremos que no verão será difícil ficar dentro dela se exposta ao sol, por falta de mais áreas de ventilação, mas isso ocorre na maioria das barracas.

- Para nós esse aspecto de pouca ventilação é administrável, pois na T4.1 à noite um circulador de ar (ou ventilador) dentro do quarto, sempre resolveu e durante o dia não costumamos ficar dentro da barraca.

- A altura do quarto, 1,60 m junto à porta, é mais baixa do que a modelo T4.1 de varetas, que media 1,80 m. Com isso para trocar de roupa de pé dentro do quarto precisa ficar com o corpo meio flexionado, o que não é confortável. O melhor então é fazê-lo na sala, evidentemente depois de fechada.

Como estamos usando:

Temos um gazebo Quechua, de 3 x 3m – saiu de linha – que na T4.1 encaixava perfeitamente, ficando um só corpo. Na inflável não deu para encaixar.


Na primeira acampada ficamos com a barraca separada do gazebo, mas não satisfez, principalmente pensando nos dias de chuva, pelo problema de ter que sair para fora e ao abrir a porta da barraca entrar água.


Como solução, compramos a tarp Quechua, medindo 2,90 x 2,85 m, branca, para usar como cobertura do pequeno espaço de cerca de 1 m entre o gazebo e a barraca.

Essa tarp também serve para cobrir a iglu (barraca saideira, rs) quando queremos guardar tudo no dia anterior e dormir nela para sair cedo no dia seguinte.

iglu em ação para sairmos cedo no dia seguinte

Funcionou perfeitamente, eliminando o problema da porta da barraca e ficando um amplo e arejado conjunto - porta da barraca e gazebo abertos, mesmo com chuva - e total aproveitamento dos espaços.




Com isso temos um gazebo confiável que serve como cozinha e uma barraca ampla, com uma boa saleta, que serve até para assistir um filme em pleno dia chuvoso – detalhe, com a porta aberta.

em dia de chuva - São José do Barreiro

em dia de chuva e vento - Arraial do Cabo


Em resumo, estamos satisfeitos e o investimento compensou.

10 de nov de 2018

Acampando em Bueno Brandão/MG

Mais uma vez fomos acampar no Camping Pé na Trilha, em Bueno Brandão, cidadezinha muito agradável no sul de Minas Gerais, onde passamos oito dias curtindo a bela natureza na região.

Conhecida como a Cidade das Cachoeiras, sua principal atração são as mais de 30, das quais visitamos as principais, mais de uma vez, em acampadas anteriores - veja post aqui.

Desta vez optamos por aproveitar mais o bom e bonito ambiente do camping, fazer caminhadas e passeio pela pequena cidade de 11.200 habitantes.


Sobre o Camping:

Camping Pé na Trilha - link para o site do camping
Endereço: Km 1 da Rodovia Bueno Brandão/Socorro (Bairro Serrinha)
Coordenadas geográficas: -22.456545 -46.359697
Localização no Google Maps: http://goo.gl/ajVP87
Fone/WatsApp 35 99979-5130
Wi fi grátis junto à casa sede.
Diária: R$ 35,00 em novembro/18
Proprietários: Dª Beth e Jair
Voltagem 110v


Estrutura

Conta com três áreas para acampar. A principal, pequena, gramada e com árvores enormes ao lado, que projetam boa sombra de manhã e à tardinha, dispõe de 3 banheiros amplos e simples, cozinha comunitária com fogão, geladeira, churrasqueira e um espaço coberto com várias mesas e cadeiras.







A segunda é dentro de um grande galpão, com outra cozinha equipada e banheiros aquecidos à lenha. Espaço útil para barracas pequenas e por quem procura um local abrigado, principalmente em dias de mau tempo.







A terceira, pequena e gramada, fica na parte de baixo, onde de positivo tem o belo visual das montanhas, do pequeno lago e também do cercado onde ficam galinhas, gansos, etc. - bem natureza. Negativo é o fato de ter pouca sombra e maior exposição ao vento.



Junto à casa sede, na entrada, se tem um bonito panorama das montanhas, do nascer do sol e dos canteiros de flores caprichados.