28 de fev de 2019

Água ao lado da barraca

Pia ou torneira longe

Às vezes pias ou torneiras ficam um pouco distantes da barraca e temos que se deslocar toda vez que precisamos lavar as mãos, um talher que cai no chão ou qualquer outra coisa básica.

Jeitinho brasileiro

Resolvemos isso aproveitando um galão de água de 10 litros, cortando-o na parte superior, ficando como se fosse uma tampa, instalando uma torneirinha plástica (dessas de filtro d’água) e colocando uma alça (no nosso usamos arame) para transporte.



Pronto para uso

Se tem uma árvore ao lado da barraca usamos um extensor de borracha e um gancho para prendê-lo ao tronco, deixando numa altura confortável para uso.



Não tendo árvore, colocamos em cima de um banquinho desses articuláveis, deixando do lado de fora da barraca.


Como transportar

No transporte para o camping, para otimizar o uso do espaço aproveitamos o recipiente para acondicionar outras coisas que normalmente levamos.


pronto, resolvido...


Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós.
Volte sempre!!


Outros posts recomendados:
Acampando em Cabo Frio - RJ
O Dunas do Peró é um camping com 22 anos de existência, onde sempre nos sentimos bem pelo ambiente familiar, arborização e boa segur... Leia mais

Acampada em Ubatuba - SP
O Itaguá Camping continua com muito boa e bem cuidada estrutura. Dispõe de um eficiente controle de portaria, tanto na principal... Leia mais

16 de fev de 2019

Acampando no Camping Cachoeira do Roncador

Realizando um roteiro de viagem acampando por Minas Gerais, com destino a São Thomé das Letras, acampamos primeiro em Lambari, Estância Hidromineral situada no Circuito das Águas de Minas Gerais.

Cidade de cerca de 21.000 habitantes, altitude de 890 m na sede, com clima tropical de altitude. Fomos no fim de janeiro de 2019 com bastante calor durante o dia e noites com temperaturas agradáveis.

Acampamos no Camping Cachoeira do Roncador, na área rural a cerca de 10 km do centro.

área pequena, gramada e bonita

O Camping

Camping Cachoeira do Roncador   link site do camping.
A 10 km do centro de Lambari/MG - 5 por asfalto, 5 por estrada de terra
Coordenadas geográficas: -22.03210 -45.34011
Veja no Google Maps: link
Telefone/watsapp (35) 9176-9716 - conveniente reservar
Diária em janeiro/2019 R$ 25,00
Voltagem 110v
Wi-Fi disponível
Recebe motor-home
Proprietários Fernando e Maísa

Fica em um vale com bonito visual, muito verde e com vista para um cafezal. O som predominante no camping é o canto dos pássaros e o murmúrio das águas passando pelo córrego ao lado, oferecendo um ambiente bem relaxante.

Camping bem simples, com área pequena para barracas, toda gramada e arborizada. Alguma irregularidade no terreno, recomendando-se sempre procurar as partes mais altas. Este vídeo ilustra como é o camping:


Os banheiros, 2 completos para cada sexo, são amplos, decentes e mantidos limpos. Para lavar louças e roupas, dispõe de quatro tanques, mas ficam a descoberto na parte externa dos banheiros. Duas churrasqueiras de alvenaria, também descobertas.

Vários pontos de energia para as barracas, mas não tem iluminação noturna na área. Além das luzes usadas pelos campistas (quando têm) apenas lâmpadas na entrada dos banheiros e ao lado do restaurante.

A casa sede reúne a recepção, bar e restaurante rústico, onde servem pequenas refeições, porções, petiscos e bebidas. Local utilizado também para atendimento aos visitantes das cachoeiras.

Bom atendimento, com o proprietário sempre interagindo, dando dicas e suporte quando necessário.


Cachoeiras na área

Existem 3 cachoeiras na propriedade. A cerca de 350 m da recepção, chega-se a duas delas, com porteira e cobrança de ingresso de visitantes (R$ 8,00), mas acesso livre para os campistas.


O acesso, em declive, é bem cuidado, com degraus de pedras e corrimões (de bambu) nos trechos mais íngremes.

Na primeira, Poço dos Olhos, a queda é formada pela obstrução do córrego por uma grande rocha e pelas suas laterais, mais o desnível, a água passa com muita pressão, formando o poço a seguir.

A mais bonita, pelo volume d’água e altura, é a Cachoeira do Roncador (um dos pontos turísticos de Lambari) que fica um pouco adiante. Forma um poço relativamente raso, que permite às pessoas usufruírem de uma bela massagem em suas águas.

Ao lado do camping passa um córrego onde a cerca de 100 m tem uma pequena queda d’água, que leva o nome de Cachoeira da Paz, portanto a terceira. O acesso à essa queda é por uma trilha, que inicia após cruzar o córrego por cima de pedras e segue acompanhando sua margem.


A cidade

Típica das Estâncias Hidrominerais de Minas Gerais, com sua tranquilidade e Parque das Águas - ingresso R$ 2,00 - onde há várias fontes com propriedades diversas. O Parque é um local agradável, bem arborizado e florido.



Outro ponto de destaque é o Lago Guanabara (artificial) de grande extensão, local bonito e propício para prática de esporte em seu entorno, como caminhada, corrida, ciclismo, ginástica, stand up, etc. ou apenas pura contemplação.


À sua margem existe uma imponente construção, conhecida como Palácio do Cassino, inaugurado em 1911 mas que só funcionou por uma noite - leia sua interessante história. Restaurado em 2018, enfeita o belo cenário do Lago Guanabara.



Parque Estadual Nova Baden

Uma visita muito proveitosa. No centro de Visitantes fomos recepcionados por um monitor que, com muita disposição, simpatia e conhecimento, nos passou muitas informações sobre a história do Parque, a fazenda que o antecedeu, e sobre um dos proprietários dessa fazenda, Eng. Américo Werneck, que veio a ser o Prefeito de Lambari.





No Parque fizemos a trilha das 7 Quedas passando por autêntica floresta remanescente da Mata Atlântica. Trilha sinalizada, bastante úmida quando fomos, feita em uma hora devido a muitas paradas para observação e fotos. As quedas estavam com pouquíssimo volume de água.









Resumindo

Ficamos seis dias em Lambari. Consideramos uma boa opção para quem esteja passando pela região e queira desfrutar de um lugar muito tranquilo, simples e de natureza exuberante. De lá seguimos para conhecer São Thomé das Letras, a apenas 105 km, onde acampamos por mais nove dias - veja postagem a respeito.

9 de fev de 2019

Curtindo São Thomé das Letras - MG

A cidade

Acampados no Camping do Noel - veja post - a 3 km da cidade e vencendo um desnível acentuado em estrada de terra - com pequeno trecho calçado com bloquetes - fomos duas vezes à cidade.

Devido a cidade ter sido construída sobre uma montanha formada por um grande depósito de quartzito, conhecido como pedra de São Thomé, essas pedras foram usadas largamente no piso das ruas e nas paredes das casas.





Piso desse tipo, muito irregular, aliado a ladeiras, faz com que se transite de carro em baixíssima velocidade, geralmente em primeira ou segunda marchas, tal o nível de choaqualhos. Para nós a melhor opção foi estacionar o carro perto da estrada e circular pela cidade a pé.

Mas esse tipo de construção das casas e piso das ruas, bem como o ar místico, despojado e presença de um "público alternativo" misturado aos nativos e turistas, torna São Thomé das Letras um lugar diferente, repleto de belezas naturais, que vale muito a pena conhecer.

Em seu centro, na Praça da Igreja Matriz, a altitude é de 1.280 m. Ali estão lojas de artesanato, restaurantes, pousadas, supermercados, etc.










Casa da Pirâmide

Ponto turístico mais visitado de São Thomé, a Casa da Pirâmide, localizada no Parque Municipal Antônio Rosa a 1.300 m de altitude, é uma construção de forma piramidal, com excelente visão para cidade, os vales e as montanhas.

Local onde se reúnem famílias, pessoal fumando maconha, artistas, etc., mas tudo num espaço democrático e de respeito mútuo - o que vimos quando fomos.

Pena apenas que justamente na direção de apreciar o pôr do sol, objetivo maior de todos que ali vão, foram instaladas umas antenas de telecomunicações que prejudicam o cenário, principalmente para fotos.






Cruzeiro

Pertinho da Casa da Pirâmide, outro ponto espetacular para se apreciar o belíssimo panorama.





Cachoeiras

São muitas e dispersas as cachoeiras em São Thomé das Letras, a maioria de águas cristalinas, algumas em áreas particulares com cobrança para acessar.

Relativamente próximas ao Camping do Noel visitamos as Cachoeiras da Eubiose, do Flávio, da Lua e as Panelas - pequenos poços formados na corredeira após a Eubiose.

Cachoeira da Eubiose

A 1 km do camping, fomos a pé. Acesso R$ 6,00 - menores de 6 anos e maiores de 65 não pagam.




Cachoeira do Flávio

A 4 km do camping. Acesso grátis. Fomos a pé, apreciando os detalhes do caminho.







Cachoeira da Lua

A 4 km do camping. Acesso grátis. Também fomos a pé, curtindo os panoramas e detalhes junto à estradinha de terra que vai para Sobradinho.








Caminhada até as Panelas

Por trilha, 1 km a partir do camping - fomos duas vezes.





Cachoeira Vale das Borboletas

Essa um pouco mais distante, 7 km, tendo que cruzar a cidade de carro. Pagamos apenas pelo estacionamento, R$ 5,00.



Caminhada até a Pedra do Disco

Caminhada pela estrada de terra que vai para a cidade de Cruzília, distância de 1,2 km. De lá se descortina um belo panorama e no retorno apreciamos um lindo pôr do sol.






Resumindo

Foram nove dias bem aproveitados, a maior parte com sol bem quente - e muita poeira nas estradas - e também um dia de um belo temporal, mas sem problemas pois estávamos bem instalados.

Alguns dias nem saímos do camping ficando só curtindo a paz e tranquilidade do local, além do belo visual das montanhas em frente. Ficaram várias cachoeiras (as mais distantes) e alguns pontos turísticos para conhecer, motivo de merecer um retorno futuramente.

O Camping do Noel, onde acampamos, é uma ótima opção para quem quer conhecer São Thomé das Letras, tanto por sua localização, como pelo ótimo atendimento e bom preço - R$ 20,00 em fevereiro/19, fora de feriados.