6 de fev de 2016

Retrospectiva de 40 anos de acampadas

Começamos a acampar em janeiro de 1976, portanto foram completados 40 anos que adotamos essa forma saudável de curtir a natureza, conhecer lugares e fazer amizades por este Brasil afora. Alguns números espelham como foi, até agora, essa nossa história de acampamentos:

Quantas vezes armamos a barraca: 229
Número de dias que acampamos: 1.150
Campings conhecidos: 130
Lugares onde acampamos: 85

Um pouco dessa trajetória, em fotos:

PRIMEIRA BARRACA, usada de 1976 a 1990, por 212 dias


1976 - Guarujá/SP

1977 - Caxias do Sul/RS

1979 - Guarapari/ES

1983 - Itu/SP

Obs: de 1986 a 1990 passamos todas as férias e feriadões nos Campings de Itu/SP, e na época fazíamos todos os registros em slides, que infelizmente perdemos pelo tempo guardados - mofo. As fotos acima foram recuperadas dos slides.

SEGUNDA BARRACA, usada de 1991 A 2002, por 329 dias


1991 - Balneário Camboriú/SC

1992 - Cabo Frio/RJ

1993 - Porto Seguro/BA

1994 - Olivença/BA

1995 - Blumenau/SC

1996 - Prado/BA

1997 - Paraty/RJ

1998 - Cumuruxatiba/BA

1999 - Canela/RS

2000 - Maceió/AL

2001 - Ubatuba/SP

2002 - Florianópolis/SC


Obs: A partir de 1994 passamos ter tempo disponível para acampadas e viagens mais longas - aposentadoria.

TERCEIRA (TENDA COM FERRAGENS DA BARRACA CAPRI), usada de 2003 a 2015, por 602 dias


2003 - Arraial d'Ajuda/BA

2004 - Monte Verde/MG

2005 - Florianópolis/SC

2006 - Ilhabela/SP

2007 - Canela/RS

2008 - Arraial d'Ajuda/BA

2009 - Florianópolis/SC

2010 - Itaúnas/ES

2011 - Teresópolis/RJ

2012 - Delfinópolis/MG

2013 - Pipa/RN

2014 - Lageado Grande/RS

2015 - Itacaré/BA

QUARTA BARRACA, a partir de 2016, usada por 7 dias 


2016 - Ubatuba/SP

Curiosidades: alguns equipamentos nos acompanham desde o início. Exemplo banquinho de madeira (originalmente de naylon) que aparece na foto de 1983, o armário desmontável (foto de 2001) e o martelo de borracha. O frigobar é desde 1996 (foto de 1997).

A FÓRMULA

Consideramos que acampar requer grande cumplicidade entre parceiros (as), pois, ao lado de muitas vantagens, também requer abrir mão de alguns confortos que só nossa casa oferece e também aceitar passar por algumas situações desconfortáveis, com serenidade, como chuva forte ou contínua, ventos, eventualmente instalações não adequadas ou vizinhos com comportamento desagradável. 

Felizmente tive a sorte de ter uma esposa (companheira há 51 anos) com quem divido todos os bônus e ônus das viagens acampando, contando sempre com seu apoio nas tomadas de decisões e no dia a dia dos acampamentos.

CONCLUINDO

Esperamos continuar com saúde para ainda armar muitas vezes a barraca por este Brasil e ter sempre mais histórias para contar e motivar quem desconhece essa prática saudável.

Obrigado pela visita e eventuais comentários.

Visite também nosso site ocampista.com.br