9 de jun de 2015

Acampando no Valle das Águas - Socorro/SP

DADOS DO CAMPING:
Camping na Fazenda Valle das Águas – perfil no Facebook
Estrada Municipal, 750 - cerca de 1 km de terra, em bom estado, da Rodovia SP 147, Socorro/SP
Coordenadas geográficas: -22.569912,-46.546346
Veja no Google Maps: http://goo.gl/c52ZN5
Telefones (19) 3895-1168 ou 99761-2132
Administrado por Roberta Bovi e Ari
========================================

PLANEJAMENTO
Já havíamos acampado uma vez no Valle das Águas e gostamos do local e atendimento. Vimos no Facebook do camping que no feriadão de Corpus Christi haveria uma festa junina no sábado e o pacote para 4 dias ficaria em R$ 130,00 com fogueira, música ao vivo, etc. A programação nos agradou e fizemos a reserva, mas já prevendo entrar na quarta e sair na segunda feira - 03 a 08/06/15.
Feito isso, pesquisamos algumas atrações para visitar em Socorro, anotando as coordenadas para chegar até elas.

A VIAGEM
Foi tranquila, 4h10 de estrada - distância mais longa devido nossa opção de sair de Santos e seguir pelo Rodoanel Leste/Airton Senna/Dutra e Fernão Dias, para não ter que passar por São Paulo. Percorremos 258 km, sendo que a passagem por Bragança Paulista até Socorro é em baixa velocidade devido o muito vira aqui, vira ali (como o GPS ajuda nessa hora!), lombadas e radares.

O CAMPING
A área é muito bonita, bem cuidada e com capricho nos detalhes. Os donos são atenciosos e prontos a dar suporte às eventuais necessidades dos campistas, que têm à disposição piscinas adulto e infantil, sala de TV com telão, Wi Fi (sinal nas proximidades da recepção), campo de futebol e energia 110v.
Em relação à nossa acampada anterior notamos melhorias como a colocação de pia - com cobertura - na área de camping eliminando a necessidade de grandes deslocamentos, divisórias nos banheiros masculinos e agora tem uma cozinha comunitária, num espaçoso quiosque, com fogão, geladeira e até micro-ondas.
Por ser relativamente nova, a área para camping tem algumas limitações e por isso a administração solicita que os interessados mantenham contato prévio para reserva, para ter condições de atender bem.




pia, com cobertura, na área de camping:




cozinha comunitária:





AMIGOS
Não combinamos nada com ninguém mas ao chegar no camping na quarta feira, por volta de 11h, já encontramos as famílias da Sandroca e Luzia, amigos e parceiros de outras acampadas e depois chegaram outros que também tivemos o prazer de reencontrar ou conhecer pessoalmente. Formou-se um ambiente sadio, com brincadeiras e respeito mútuos. Foi muito bom.












CAMINHADAS
Como sempre, gostamos de caminhar para curtir lugares silenciosos, onde a natureza impera e também os bonitos panoramas que se descortina. Desta vez fizemos duas, ambas repetecos, uma subindo o morro dentro da área da Fazenda e outra caminhando pela estradinha rural que passa em frente ao camping.









PASSEIOS
Já na recepção fomos convidados pelo dono, Ari, a participar de uma caravana de campistas, guiadas por ele, na sexta feira, até o Mirante do Cristo Redentor, um dos pontos turísticos mais visitados de Socorro, onde haveria degustação de produtos da região incluindo café, tipo para exportação.
Atrás da caminhonete do camping foram uns cinco carros. Do mirante tem-se uma bela visão da cidade e montanhas em torno e a degustação foi de produtos de boa qualidade, sendo que a maioria acabou adquirindo alguns para levar.
Dali decidimos aproveitar para ir conhecer um de nossos objetivos, o Mirante da Pedra Bela Vista, no lado oposto da cidade. Outras pessoas do grupo se animaram a ir e solicitaram se podiam nos acompanhar (3 carros), no que concordamos com prazer e seguimos as coordenadas já gravadas.
Chegamos ao Mirante, vencendo um desnível de 420m, boa parte por estrada de chão em bom estado. O local é particular, um Parque de Esportes de Aventuras - http://www.pedrabelavista.com.br/home/default_novo_z.asppara - com cobrança de ingresso (R$ 10,00 por pessoa). De lá se avista um panorama espetacular que mostramos nas fotos a seguir:

No Mirante do Cristo Redentor:



No Mirante da Pedra Bela Vista:







RETORNO
Para ter uma base real da conveniência ou não de dar uma grande volta para não passar por São Paulo, no retorno, presumindo que na hora que passaríamos por lá, por volta de 12 horas, o trânsito não estivesse tão complicado, seguimos pela Fernão Dias, entrando na Dutra e saindo pela Av. Salim Farah Maluf e Luiz Ignácio de Anhaia Melo, até a Imigrantes.
Esse percurso totalizou 216 km, portanto 42 km a menos do que dando a volta pelo Rodoanel, mas ledo engano quanto ao trânsito pois pegamos bem lento, felizmente sem parada total, o que, aliado aos semáforos e radares, no fim significou uma velocidade média de 53 km/h - na ida foi de 62 km/h - e o tempo total foi de 4h05, praticamente igual à ida.


ENSINAMENTO
Para nós vale a pena quando sair com destino ao interior via Fernão Dias ir pelo Rodoanel Leste. Embora 42 km a mais (cerca de 3 lts de gasolina, R$ 10,00), o trânsito é menor, o que significa menos riscos e stress.

CONCLUSÃO
Uma acampada onde tudo foi perfeito: ótimas companhias de amigos campistas, tempo maravilhoso todos os dias com temperatura amena durante o dia e um friozinho gostoso para dormir à noite e camping com boa estrutura, belo visual e ótimo atendimento.

8 de mai de 2015

Acampando em Tiradentes/MG


DADOS DO CAMPING:
Camping Tiradentes – link para o site
Av. Gov. Israel Pinheiro, a 3 km do centro de Tiradentes
Coordenadas geográficas: -21.13114,-44.17131
Veja no Google Maps: https://goo.gl/HvCN7p
Telefones (32) 3355-2828 - 8856-7622 ou (32) 8885-5417
Administrado por Luiz e Izabel
========================================

PLANEJAMENTO
Decidimos por programar essa acampada depois de ler relatos positivos de campistas amigos em seus blogs - Nas Estradas do Planeta e Camping & Estrada - além de informações de um campista amigo de Formosa/GO.
Após ver 3 opções de roteiros, o mais curto passando por SP, (Anhaia Melo, Salim Farah Maluf, Dutra e Fernão Dias), 546km, decidimos pelo mais longo mas, em tese, menos trânsito, ou seja, Rodoanel Leste, Ayrton Senna, Dutra e Fernão Dias, o que indicava percorrer 590 km até o Camping Tiradentes.
Devido à distância e para compensar, nos preparamos para ficar 6 dias, de 29/4 a 05/05, aproveitando o feriadão de 1º de maio, quando todas as atividades da cidade estariam funcionando.


A VIAGEM
Com uma previsão de 8 a 9h de viagem, saímos de casa às 5h40 e a viagem foi tranquila, pegando apenas um pouco de trânsito na subida da Imigrantes e em pequenos trechos da Ayrton Senna e Dutra. Chegamos no camping às 14h, após 8h20 e 596 km de estrada, média de 71,5km/h, sem parada para almoço e apenas paradas técnicas ou para dar uma esticadinha, como de costume em viagens longas.


O CAMPING
Confirmando as informações lidas, encontramos um camping simples, mas acolhedor, com área plana e gramada, banheiros decentes, cozinha comunitária, WiFi próximo à casa sede, várias árvores frutíferas, algumas carregadas com laranjas e mexericas e, detalhe importante, um atendimento muito atencioso do casal proprietário.
Ao lado passa o Rio das Mortes que, nesse ponto recebe as águas do afluente Rio Elvas. Em frente à portaria passam os trilhos da Maria Fumaça, que circula aos sábados, domingos e feriados, levando turistas de Tiradentes para São João del Rei e vice-versa.
Ficamos o primeiro dia sozinhos no camping - em paz e em sintonia com o ambiente de sítio, com galinhas, galos, dois cachorros amigáveis circulando e algumas cabeças de gado (em área cercada), com direito a acompanhar a ordenha de manhã cedo.
Já no segundo dia chegaram os amigos Marcelo, Kelly e Marcelinho e, após, uma família numerosa de Três Rios e Paraíba do Sul/RJ. No total o camping chegou a receber 12 barracas.



A CIDADE
Tiradentes é uma cidade histórica com mais de 300 anos e sua arquitetura, bem preservada, em estilo colonial e ruas com calçamento de pedras – chamado de pé de moleque. Sentimos diferença gritante entre a primeira ida, antes do feriado, com tudo calmo, pacato e aquele ar das pequenas cidades do interior e depois no feriadão com movimento intenso de turistas.
Todo o centro histórico é tomado por vários tipos de comércio direcionado para esse público (turistas), com várias opções para os aficionados pela boa gastronomia mineira, artesanatos e lembranças.
Um destaque para as Igrejas católicas, com seus altares bem trabalhados artisticamente falando, principalmente a Matriz de Santo Antônio com muitos detalhes em ouro.


OS PASSEIOS
Fizemos um passeio muito bom na Maria Fumaça até São João Del Rei, onde, com um guia nos passando várias informações sobre os locais, circulamos de Van visitando vários pontos históricos, incluindo Igrejas.
Em Tiradentes além de caminhar bastante pela cidade, atingimos nosso objetivo de fazer a Trilha do Carteiro, da qual tivemos prévio conhecimento em pesquisas e leituras na internet. Essa trilha leva até a parte superior da Serra de São José – imponente serra que domina todo um lado de Tiradentes, com muito verde na parte de baixo e um maciço rochoso na parte superior. A trilha passa por um caminho de pedras feito pelos escravos no século XVIII e no topo tem vários mirantes naturais de onde se descortina belos panoramas.




O RETORNO
Para ganhar tempo e poder sair mais cedo, na segunda feira à tarde desmontamos e guardamos todas as tralhas no carro, medida providencial pois à noite choveu bastante. Como periodicamente perguntam como carregamos tudo no carro, sem carretinha ou bagageiro externo, resolvemos tirar foto do banco traseiro e porta-malas do Logan carregados, frisando que nada fica acima da altura do encosto dos bancos, por questão de segurança. Pernoitamos num dos quartos disponíveis no camping – dispõe de um total de 20 aposentos, entre quartos, suítes e rancho para famílias mais numerosas.
Depois de um reforçado café da manhã na sede do camping, saímos às 8h15, o que com a previsão de até 9 hora de viagem chegaríamos em casa por volta das 17 horas.
A viagem correu tudo normal até a Fernão Dias (cerca de 120 km do camping) apesar de chuva na maior parte, pista simples e muitas curvas na BR 265.



O IMPREVISTO
Pegamos um congestionamento na Fernão Dias devido a um acidente no km 925- carreta tombou, derramando sucata na pista. Paramos no km 917, região entre Cambui e Itapeva/MG e ficamos retidos no meio de uma infinidade de caminhões, sem nada por perto ou possibilidade de sair por rotas alternativas. Paramos às 12h30 e só passamos pelo ponto do acidente às 18h30, portanto 6 horas perdidas, e faltavam ainda cerca de 260 para chegar em Santos, o que só ocorreu às 22h45, após pegar trânsito na passagem pela Dutra e região de Guarulhos. A Lei de Murphy funcionou...


ENSINAMENTO
Felizmente, devido nosso costume de raramente fazer refeições durante as viagens, sempre trazemos no carro água, garrafa térmica com café, frutas (tinha um saco de mexericas trazidas do camping e 2 litros de água) e alguns docinhos. Isso quebrou um galhão pois não havia nada em torno nem possibilidade de sair do trânsito trancado.
Para “desapertar”, rsrs, abríamos as duas portas da lateral do carro e entre elas fazíamos o que tinha urgência de ser feito...


CONCLUSÃO
Não obstante o acontecido na volta – a primeira vez que nos ocorre, nessa dimensão, em mais de 60 viagens – a acampada foi muito prazerosa, conhecendo um pouco mais de nossa história numa cidade que merece ser visitada.
Mais fotos dessa viagem podem ser vistas no Picasa e mais detalhes em nosso site na página Camping em Tiradentes/MG